+55 11 4546-8200 Seg-Sex 8h às 17h
Transporte de carga industrial: 5 cuidados que você deve considerar

Transporte de carga industrial: 5 cuidados que você deve considerar

Transportar carga industrial não é uma tarefa fácil. Afinal, são vários os fatores que influenciam nessa prática, tanto externos quanto internos. 

O fator competitividade está ligado a uma melhor forma de realizar o transporte de carga. Portanto, detalhes podem fazer toda a diferença na hora de se destacar no mercado.

A seguir, conheça 5 cuidados que precisam se considerados para melhorar seus resultados! Boa leitura!

1. Treinamento de funcionários

Embalagem, transporte, armazenamento, expedição… Todos os processos podem ser feitos com maior eficiência quando os funcionários são bem treinados.

Quem atua na área deve ser capacitado para entender de logística com menor ou maior profundidade, dependendo da função.

Deve-se, também, orientar os colaboradores quanto a importância do cumprimento de prazos e formas de agilizar as atividades.

2. Armazenagem correta

Entre a chegada e o despacho da mercadoria para o cliente, certos processos precisam ser realizados para garantir eficiência. Para o recebimento, o local onde os caminhões vão chegar para serem descarregados deve estar pronto e dimensionado para abrigar os veículos, possível maquinário e fluxo de pessoas.

A estrutura deve ter um pé-direito alto, o que ajuda na boa ventilação e melhor rendimento de funcionários. Garantir o espaço adequado também vai permitir que a checagem da mercadoria aconteça de forma ágil e as chances de contratempos no descarregamento sejam menores de ocorrer.

É necessário permitir, ainda, que seja feito o cross-docking, que ocorre quando mercadorias chegam por um lado e são retiradas pelo outro. Esse é um mecanismo que visa agilizar a expedição.

3. Estudo da logística

Essas despesas são as que mais consomem as receitas das empresas. O custo logístico, que inclui transporte, armazenagem e serviços administrativos chega a consumir 12,7% do Produto Interno Bruto do Brasil. Em outros países, como EUA, esse custo é 7,8%, em média.

Avaliar o tipo de transporte a ser utilizado é um desses passos. O rodoviário é o sistema mais farto no Brasil, mas verifique se existem opções com preços e os prazos mais adequados.

No caso do uso de caminhões, saber as condições das estradas integra o processo de planejamento. Rodovias ruins podem causar avarias na mercadoria, demandar mais tempo para a entrega/recebimento. Esses percalços devem ser ponderados porque refletem em outras etapas.

Verifique também, se for o caso, a possibilidade de terceirizar o transporte e se a prestadora tem aplicativo para acompanhamento do trajeto ou mesmo saber detalhes da entrega/recebimento.

Para a armazenagem, além das situações mencionadas acima, um dos cuidados é o fracionamento. O picking, processo de separação e preparação dos pedidos, merece atenção redobrada porque permite o posicionamento das mercadorias de forma a facilitar o fluxo de informações e documentos.

Não se deve esquecer, também, do inventário. Esses registros permitem o controle com exatidão do que está guardado.

4. Embalagem e empilhamento

A mercadoria, tanto no processo de transporte como de armazenamento, não pode ser danificada.

Focar em certos cuidados é necessário porque não imprevistos acontecem, como buracos nas estradas e acidentes, por exemplo. Indicar na embalagem se a carga é frágil e deve ser manuseada com cuidado é fundamental. A sinalização precisa estar bem evidente.

A utilização de caixas que ofereçam a proteção também é necessária. Acrescenta-se o cuidado para envolver a mercadoria de forma a garantir que ela não seja danificada por conta de uma freada ou balanço mais forte do caminhão.

A forma como essas caixas são empilhadas também faz diferença. Orientações sobre esses procedimentos devem estar visíveis.

5. Veículos no transporte de carga

A necessidade de proteger a mercadoria passa por outro ponto: a boa manutenção do caminhão que faz o transporte. As estradas brasileiras estão cheia de buracos, depressões e imperfeições. Um veículo com suspensão ruim e pneus muito rodados pode causar avarias por conta dessas condições.

O tipo de caminhão faz parte de outro fator. Os baús, por exemplo, podem proteger contra intempéries climáticas e oferecem meios de armazenamento mais adequados para certos produtos.

O que não é aconselhável é tentar colocar tudo que deve ser transportado em um veículo que tenha capacidade de carregamento menor do que o exigido.

Como já mencionado, quem precisa de competitividade deve dar valor ao planejamento logístico, principalmente na questão do transporte de carga, responsável pela maior fatia do custo de empresas (essa etapa consumiu 7,8% do PIB brasileiro em 2016).

Continue aprendendo mais sobre o seu setor, em como ter melhor rendimento e obter mais resultados. Para isso, siga a Cobertex Coberturas nas redes sociais.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu